Rua Afonso Celso, 1245 - Saúde

Fone: 11 2275-5959

cursos

Trompete


Com seu timbre imponente, o trompete esta presente em todos os estilos musicais, como música erudita,  jazz,  mpb,  funk, etc. Muitas vezes atua ao lado de saxofones e trombones, formando a chamada metaleira.

O curso de trompete do Centro Musical Santa Cruz  permite que o aluno atue em todas essas situações, desenvolvendo a leitura ( cifra e partitura), técnica, afinação, expressividade (sonoridade),  harmonia e improvisação.

As aulas de trompete são realizadas individualmente e contemplam repertório variado. 

 

 

 

 

 

 

O trompete  é um instrumento musical de sopro, um aerofone da família dos metais, caracterizada por instrumentos de bocal, geralmente fabricados de metal. É também conhecido como pistão. 

 

 

 

 É constituído de um tubo de metal, com um bocal no início e uma campana no fim. A distância percorrida pelo ar dentro do instrumento é controlada com o uso de pistos ou chaves, que controlam a distância a ser percorrida pelo ar no interior do instrumento. Além dos pistos, as notas são controladas pela pressão dos lábios do trompetista e pela velocidade com que o ar é soprado no instrumento.

 

Os primeiros trompetes eram feitos de matéria prima vinda da própria natureza, como, bambu, madeira , osso e até conchas. Eram usados à maneira de um megafone, utilizados em rituais , por pastores para conduzir o rebanho ou em tempos mais antigos utilizado para assustar animais pré-históricos. A partir da Idade do Bronze (3300 a.C.) os trompetes passaram a ser feitos em metal e usados sobretudo para fins marciais.

 

Quando o túmulo do faraó Tutankhamon foi aberto, em 1922, foram descobertos dois trompetes retos. Um de prata, com 58,2 cm de comprimento, e outro de bronze, com 50,5 cm de comprimento: eles não possuíam bocais separados e os lábios estavam aplicados diretamente no estreito fino, datando aproximadamente de 1350 a.C.

 

Cláudio Monteverdi foi o primeiro dos grandes compositores a utilizar o trompete ("Orfeu"- 1607).

 

Em 1815, um trompista alemão chamado Heinrich Stölzel, criou o sistema de válvulas para instrumentos de metal, e em 1939 o francês Périnet patentiou um sistema de válvulas chamado de “gros piston” que é a origem das válvulas que utilizamos hoje no trompete. Daí pra frente o trompete teve seu lugar na música, pois com esse sistema de válvulas passou a ser um instrumento cromático.                                                                             

 

Hoje os modelos mais usados são os trompetes em Dó e Si bemol. As suas extensões, em notas reais, são no primeiro caso: Fá#2  a Ré5 e no segundo caso: Mi2 ao Dó5. Existem ainda outros tipos de trompete menos usados:

 

Mais agudos: Trompete em Ré - Trompete em Mi b -Trompete piccolo em Sib  

 

Mais graves: Trompete baixo em Mi b - Trompete baixo em Dó  - Trompete baixo em si                                                                                                                                         

 

Não podemos esquecer dos músicos que desenvolveram técnicas, criaram músicas inesquecíveis e mudaram a história do trompete. Músicos incríveis como:

 

Louis Armstrong, Arturo Sandoval, Bix Beiderbecke, Bonfiglio de Oliveira, Chet Baker, Claudio Roditi, Clifford Brown, Dizzy Gillespie, Freddie Hubbard, Herb Alpert , Louis Armstrong, Louis Prima, Lee Morgan, Manuel 'Guajiro' Mirabal, Márcio Montarroyos, Maurice Andre, Maynard Ferguson , Miles Davis, Mauro Maur, Phil Driscoll, Sergei Nakariakov, Wynton Marsalis.

Rua Afonso Celso, 1245 - Saúde - São Paulo/SP (Próximo ao Metrô Santa Cruz)
Tel: (11) 2275-5959 / 2578-1551
cemusc@cemusc.com.br